adri

Adriana Prates

Sou Adriana Prates, tenho 40 anos, advogada, mãe e esposa.

Desde criança sofri muito com preconceito por conta do sobrepeso, desde o ambiente familiar e escolar.

A maneira que consegui amenizar esse sofrimento foi sempre me dedicando aos meus estudos.

Cresci, comecei a trabalhar, me formei em Direito e comecei minha trajetória profissional.

Aos 26 anos me casei e hoje sou mãe de dois filhos: Mateus de 9 e Helena de 2 anos.

Trabalhei durante 14 anos no jurídico interno de um grande banco e tomei a decisão de sair e abrir o próprio negócio no ramo da alimentação, ou seja, totalmente diferente de toda a minha experiência profissional. Achava que não queria mais aquela profissão e precisava arriscar em algo diferente.

A empresa não deu certo e voltei ao mercado de trabalho na área jurídica, mas desta vez em escritórios de advocacia e depois advogando de forma autônoma.

Neste meio tempo engravidei de Helena e decidi ficar em casa com meus filhos e trabalhar como advogada meio período.

Considerando que sempre trabalhei em empresas, em ambientes corporativos, comecei a me sentir muito deprimida em casa, sem envolvimento com pessoas da área e sem aquela rotina, ainda que estivesse realizada cuidando dos meus filhos, me faltava algo que me completasse.

Sabemos que no mercado de trabalho há muita discriminação com relação às profissionais que são mães e isso também me preocupava para voltar ao mercado e trabalho.

Foi então que aceitei um convite para trabalhar neste escritório que estou atualmente, o BMM Advocacia Personalizada e, para minha surpresa, começou naquele momento uma fase maravilhosa na minha vida, um verdadeiro divisor de águas na minha carreira.

Um escritório acolhedor, com sócios jovens, da minha idade, abertos a explorar todas as novidades da área jurídica e dispostos a ouvir todos que quisessem contribuir de alguma forma para o crescimento e melhoria do escritório.

Comecei a trabalhar diretamente com o sócio da área cível, Dr. Rafael. Um ser humano e profissional espetacular. Contratou-me mesmo com dois filhos, sendo Helena uma bebê de 8 meses na época.

Sempre reconheceu que a maternidade influenciou muito na profissional que sou e na liderança da equipe que formei no escritório, pois sinto como se fossem todos meus filhos, o sentimento de maternidade contagia e a sinergia é muito boa.

Dr. Rafael recebeu todas as minhas ideias e sugestões e me deu espaço no escritório, reconheceu minhas habilidades, me ajudou a superar as dificuldades que encontrei no caminho, me deu a oportunidade de revelar dons que jamais imaginei ter, como liderar, prospectar, atuar na área comercial e sempre apoiando os projetos ao meu lado.

Os outros sócios do escritório, Dr. Igor e Dr. Vinícius também são pessoas maravilhosas, que acreditaram e acreditam no meu comprometimento e no meu potencial, me apoiando em todos os projetos.

Com a confiança que o escritório depositou em mim e com a força de vontade e determinação que me dediquei ao meu propósito, desenvolvemos o BMM Analytics, uma solução jurídica espetacular e inovadora na área jurídica.

Hoje sou Head do Compliance e de toda implantação da Advocacia 4.0 no escritório, que é o que há de mais inovar na área do Direito. Idealizei e criei cada detalhe do BMM Analytics e juntos colocamos em prática no BMM Advocacia e está fazendo o maior sucesso.

Encontrei no BMM minha parceria de sucesso e o meu lugar.

A mensagem que quero passar a todas as mulheres é que nunca desistam do sonho de vocês.

Ouçam o coração e façam sempre a pergunta: pelo que meu coração bate forte?

E siga firme neste propósito, acreditando que você pode realizar e ser feliz e que não há nenhum impedimento, que nada é impossível, e que ser mulher é mais que um incentivo, é uma fonte de energia.

Nunca é tarde para buscar nossa realização profissional. Aos 40 anos posso dizer que sou realizada, pois encontrei pessoas que me acolheram e me deram a oportunidade de revelar o meu potencial.

Temos o direito de ser Mulher, Mãe, Esposa, Profissional e, acima de tudo, o direito de ser FELIZ!

E desde que ouvi essa frase de um grande amigo, nunca mais a esqueci e sigo firme com ela: “Não sabendo que era impossível, foi lá e fez”.