Healthtech brasileira e médicos de mais de diversas especialidades oferecem acesso à saúde particular por R$ 100 reais mensais

Nossa Mulher Positiva é Mára Rêdiggollo, publicitária e empreendedora na área da saúde. Sempre conectada a projetos e ações voluntárias, Mára resolve sair do mercado de comunicação para empreender e fundou a Dandelin - healthtech que conecta médicos a pacientes - por meio da economia compartilhada - com objetivo de democratizar o acesso à saúde particular no Brasil.


1. Como começou a sua carreira?

Sou formada em propaganda e marketing e iniciei trabalhando em agência de publicidade e, posteriormente, migrei para empresa para trabalhar com marketing. Há quase 4 anos fui chamada pra co-fundar o dandelin e trabalhar com empreendedorismo social, trabalhar com propósito de ser agente da mudança para termos uma sociedade melhor.

 

2. Como é formatado o modelo de negócios do (incluir aqui o nome do seu negócio)?

O dandelin é um aplicativo que permite que as pessoas marquem consultas ilimitadas, lançado em 2018 e hoje conta com profissionais de saúde de mais de 60 especialidades (inclusive psicologia, psiquiatria e nutrição) por uma mensalidade de R $ 100, dando o acesso à serviços de qualidade de saúde e promoção de prevenção da saúde mental e física, para que não haja preocupação também com a saúde financeira.

 

3. Qual foi o momento mais difícil da sua carreira?

Acho que ser mulher no mercado de trabalho brasileiro é desafiador todos os dias. Muitas empresas ainda são conservadoras / tradicionais / patriarcais.

Hoje, para mim, é o mais desafiador. Ser uma mulher no ecossistema e co-fundadora de Healthtech no mercado brasileiro exige resiliência. 

Seja pelas barreiras de entrada em um mercado saturado e tradicional como o de saúde, assim como num mercado tão ainda "masculino" quanto o de tecnologia, quanto pelos desafios de diminuição por conta gênero. Têm melhorado, porém, ainda há desafios de voz, das mulheres por não serem levadas tão a sério ou em toma de decisão na qual não consideramos muito nossas sugestões, até que um porta-voz do gênero representado a ideia dessa palavra final.

 

 

4. Como você consegue equilibrar sua vida pessoal x vida corporativa / empreendedora?

Acho que os dois mundos colidem, não acredito em total separação de ambos. 

Para mim, trabalhar com propósito em que você vê que seu trabalho faz diferença na vida das pessoas já é gratificante e isso reflete na vida pessoal.

Além disso, acho que temos que ter nossos momentos de descompressão na vida pessoal para também equilibrar a saúde mental, como academia ou conversar com amigos (ultimamente mais digital do que podemos presencialmente. Rs)

 

5. Qual seu maior sonho?

Profissionalmente é que o dandelina cresça a cada dia mais, assim todos seremos mais saudáveis ​​e a saúde é democratizada, deixa de ser um luxo para poucos.

 

6. Qual sua maior conquista?

Profissionalmente é reconhecimento do dandelin no mercado de trabalho e voz. Ver o ecossistema acontecendo e sim não ser utópico, é bem satisfatório.

Pessoalmente foi finalmente me regrar financeiramente que, durante anos, foi um problem and problem.

 

7. Livro, filme e mulher que admira.

Mulher: minha avó, era sobrevivente de campo de concentração. Levava a vida bem leve, feliz, com uma ótica descomunal.

Livro: No passado eu gostava bastante de Saramago, Caim foi um dos que mais me marcou. Atualmente estou lendo o Círculo e A História do Airbnb.

Filme: A vida é bela.